Conheça o Pau-Brasil

Poucas partes da Mata Atlântica ficaram conservadas, ocupando 15% do território nacional, um estudo conduzido com imagens do satélite RapidEye constatou que 32 hectares estão em estado de conservação, equivalente a 28% do que era originalmente. (FONSECA, 2018).

Esse novo mapa, está disponível na revista Perspectives in Ecology and Conservation, da Associação Brasileira de Ciência Ecológica e Conservação. A autoria principal pertence à bióloga Camila Rezende.

A árvore,  (Paubrasilia echinata), que concebeu o nome Brasil ao nosso país foi uma das mais exploradas, chegando a níveis críticos por conta da exploração comercial do período pré-colonial.

Essa árvore foi grandemente requerida e explorada por conta de seu pigmento avermelhado, proveniente de sua resina. Sua madeira também foi muito usada para a fabricação de móveis.

Seu nome ainda é fonte de muita especulação, mas o senso mais aceito é que seu nome latino “brasilia” tenha surgido pela cor de sua resina, significando: cor de brasa, e “Brasil” tenha daí sido originado. Os indígenas falantes do tupi-guarani, antes da invasão portuguesa, nomeavam a árvore “ibirapitanga”, que significa “árvore vermelha”.

  • Família: Fabaceae
  • Nome científico: Paubrasilia echinata
  • Floração: Setembro a Dezembro
  • Frutificação: Outubro a Janeiro
  • Heliófila e de terrenos bem drenados
  • Decídua ou semidecídua na estação seca
  • Sua flor tem a duração de um dia

A sua exploração foi tão intensa que chegou a quase extinção da espécie. A recuperação dela só foi iniciada na segunda metade do século XX. (SILVA, 2019).

Segundo o artigo “Mapeamento indica restar mais Mata Atlântica do que se pensava”,  publicado pelo jornal ((O))Eco, a extensão da mata pode ser recuperada em até 35%, até 2038, se as políticas e medidas do Código Florestal forem respeitadas. O artigo ainda cita que 5,2 milhões de hectares são APP – Áreas de proteção permanente.

Referências

SILVA, D. N. Pau-brasil: história, origem do nome, exploração. Brasil Escola, [s. l.], 6 jun. 2019. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/historiab/pau-brasil.htm>. Acesso em: 4 maio. 2021.

Conheça a Floresta Mata Atlântica. 2019. Disponível em: <https://www.sosma.org.br/conheca/mata-atlantica/>. Acesso em: 4 maio. 2021. 

FONSECA, Vandré . Mapeamento indica restar mais Mata Atlântica do que se pensava. 2018. Disponível em: <https://www.oeco.org.br/noticias/mapeamento-indica-restar-mais-mata-atlantica-do-que-se-pensava/>. Acesso em: 4 maio. 2021. 

WWF. Mata Atlântica. [s.d.]. Disponível em: <https://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/especiais/dia_do_meio_ambiente/mata_atlantica_dia_do_meio_ambiente/>. Acesso em: 4 maio. 2021. 

CNCFlora. Caesalpinia echinata in Lista Vermelha da flora brasileira versão 2012.2. Centro Nacional de Conservação da Flora. Disponível em <http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Caesalpinia echinata>. Acesso em 5 maio 2021.

Tags

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *